segunda-feira, outubro 09, 2006

CHIADO DE CARA LAVADA

Para mim o Chiado é sempre uma referência da minha Lisboa Querida. Mas hoje não é o que era, talvez por eu ter crescido. Também pelas muitas mudanças, especialmente depois do incêndio de 1988. O Chiado perdeu a centralidade burguesa da minha meninice. Mas gradualmente tem recuperado alguma vitalidade e cores. Está cada vez mais de cara lavada e encanta turistas em quantidade significativa. E continua o mesmo Chiado...

Luís Miguel Correia - 2006

6 comentários:

cinderela-dos-pes-grandes disse...

É... O Chiado é O CHIADO!...
O que eu chorei quando ardeu!...
Mas está lindo, agora, embora diferente!

LUIS MIGUEL CORREIA disse...

Cinderela,
Também me lembro do incêndio. Na altura foi um choque e de facto acho que isso correspondeu ao ruir de um determinado mundo.
A recuperação tem sido muito lenta, perderam-se tantas lojas insubstituíveis (que falta faz a Ferrari)...
Hoje o Chiado está cada vez mais bonito, há novos polos de atracção, como a FNAC, mas as coisas não têm sido fáceis e parece-me haver maior artificialismo... E entretanto multiplicaram-se os centros comerciais em Lisboa... Houve um Natal em que fiz todas as minhas compras no Chiado. Foi muito agradável...

LMC

cinderela-dos-pes-grandes disse...

Uma das mais persistentes e bonitas recordações da minha vida é a de descer o Chiado num bonito dia de outono, metida num confortável blazer preto e num kilt em vermelhos. Lembro-me que me sentia muito feliz por coisa nenhuma em especial - talvez simplesmente porque outono é a minha estação preferida. Pode acreditar-se que esta memória nunca se apagou e ainda hoje me emociona?... :) Que saudades!

LUIS MIGUEL CORREIA disse...

Cinderela,
Muitas vezes, as nossas melhores recordações são de uma simplicidade extrema...

LMC

Galufi disse...

Caminé mucho por el Chiado, con su herida de fuego, es un lugar muy hermoso, extraño sus calles..

LUIS MIGUEL CORREIA disse...

Galufi,

Apesar de reconstruído entretanto, o Chiado nunca mais recuperou a vida anterior a 1988 e ao incêndio. Foi uma tragédia e o fim de uma época...

LMC